Facebook

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Conheça as Candidatas ao Miss Brasil 2017 que será decidido em 19 de agosto



Será realizado nesse dia 19 de agosto o concurso para eleger a Miss Brasil 2017. O evento reunirá as 27 mulheres que foram consideradas as mais bonitas do país em 2017 para eleger a representante brasileira do Miss Universo.

O local escolhido para sediar o concurso da Miss Brasil 2017 foi Ilhabela, cidade de 32 mil habitantes no litoral norte de São Paulo e será num local mais intimista onde o espaço dedicado ao público será bem menor que nos anos anteriores.

Desde o dia 9 de agosto todas as 27 candidatas estão confinadas na cidade de Ilhabela, seja em hotéis ou pelas praias da cidade que investiu dois milhões para que pudesse realizar o evento com tamanha qualidade, todavia a cidade já está movimentando por conta do evento e a cidade irá faturar mais com a chegada da equipe de TV e os 600 convidados que estarão no Teatro dos Vermelhos.

No ano passado a Miss Brasil eleita foi a paranaense Raissa Santana que antes mesmo que começasse o concurso já era uma das favoritas por conta da sua beleza, carisma e simpatia, sendo então um dos resultados mais justos. 


Veja abaixo as 27 Candidatas ao Miss Brasil 2017:




Acre
Kailane Amorim



Alagoas
Nathalia Pastoura



Amapá
Jéssica Pacheco



Amazonas
Juliana Soares



Bahia
Caroline Oliveira



Ceará
Alexia Duarte



Distrito Federal
Sthéphane Dias



Espírito Santo
Stephany Pim



Goiás
Jeovanca Nascimento



Maranhão
Beatriz Nazareno



Mato Grosso
Aline Fontes



Mato Grosso do Sul
Isabela Cavalcante



Minas Gerais
Jéssica Porto



Pará
Stefany Figueiredo



Paraíba
Larissa Aragão



Paraná
Patrícia Garcia



Pernambuco
Iully Thaísa



Piauí
Monalysa Alcântara



Rio de Janeiro
Isabel Correa



Rio Grande do Norte
Milena Balza



Rio Grande do Sul
Juliana Mueller



Rondônia
Maria Clara Vicco



Roraima
Nathalia Lago



Santa Catarina
Tamíris Ficht



São Paulo
Karen Porfiro



Sergipe
Saiury Carvalho



Tocantins
Islane Machado



70º ao 61º Lugar | Os 100 Melhores Álbuns Internacionais do Século XXI



Chegamos na quarta da parte da lista dos 100 Melhores Álbuns Internacionais do Século XXI. Nesta parte iremos mostrar discos de pelo menos dois artistas que revolucionaram na música americana e mundial, tanto que foram eleitos os melhores da década, Michael Jackson em 80 e Mariah Carey em 90.


Veja também as demais partes da série clicando na tag "100 Álbuns Internacionais".
 
 















70 | Eye to the Telescope
KT Tunstall
2004

Este álbum para começar possui um dos grandes hits deste século na minha opinião que é "Suddenly I See" que faz parte da minha playlist eterna. O álbum em si é muito bom e marca pela bela voz de KT Tunstall que levemente é rouca e combina com o ar Pop Rock Alternativo.















69 | Ghost Stories
Coldplay
2014

O sexto álbum da banda Coldplay parecia que nem iria ser bom por conta das mudanças do grupo, mas fiquei muito surpreso e feliz com o ótimo resultado. O álbum vem com aquela pegada mais Rock com leve Pop e algo mais alternativo que faz lembrar a identidade deles. As faixas "Magic" e "Ink" são os pontos altos deste trabalho.















68 | The Emancipation of Mimi
Mariah Carey
2005

A grande artista dos anos 90 estava no seu décimo álbum e com a grande onda do hip hop e R&B, estilo que Mariah já dominava veio com mais força neste trabalho que ficou espetacular. O álbum possui hits memoráveis como "We Belong Together" que foi escolhida como a melhor daquele ano e mostrava o bom lado romântico de Mariah.















67 | We Sing. We Dance. We Steal Things.
Jason Mraz
2008

É o terceiro álbum de Jason Mraz, mas para alguns é como se fosse seu disco de estreia que chegavam às lojas embalados pelo mega hit "I'm Yours" que foi um dos grandes hits do ótimo ano de 2008 para a música Pop Mundial. O álbum é uma bela viagem que fazemos ouvindo a ótima voz de Mraz que estava inspirado com seu violão.















66 | St. Elsewhere
Gnarls Barkley
2006

Um dos álbuns mais elogiados de 2006 e que conquistou notas máximas em grandes sites e revistas especializadas em música foi este ótimo trabalho de Gnarls Barkley que estava inspiradíssimo ao gravar este grande álbum de Hip Hop. A faixa "Crazy" foi um mega hit e uma das canções mais elogiadas e premiadas.















65 | B.o.B Presents: The Adventures of Bobby Ray
B.o.B
2010

Este álbum foi um dos que mais ouvi entre 2010 a 2011. A qualidade deste trabalho é inquestionável e tenho boas lembranças com o conjunto de faixas, sobretudo o mega hit "Airplanes". O álbum possui várias participações especiais nas faixas e também na produção e nas composições das faixas, tendo a seriedade de fazer de fato um grande álbum que até hoje tenho a oportunidade de ouvir.















64 | Teenage Dream
Katy Perry
2010

Entre os álbuns mainstream este de longe é um dos melhores em questão de vendas, número de hits que foram muitos e a comoção que ele causou com fãs que amava a qualquer uma das faixas independente de ser ou não single. De longe é o melhor álbum de Katy Perry que de fato quis abranger um espaço bem grande nas paradas e conseguiu trazendo hits memoráveis tais como "Firework" e "California Gurls".















63 | 25
Adele
2015

Talvez ela seja a grande cantora do momento e dos últimos anos. Adele chamou muito a atenção com seus primeiros álbuns e demorou para lançar este que foi o terceiro que manteve a qualidade dos anteriores. É um dos grandes trabalhos do ano de 2015 que foi fraco na música Pop mundial.















62 | Invincible
Michael Jackson
2001

Foi o último álbum gravado por Michael Jackson quando ainda estava vivo e o desafio era fazer algo que chamasse muito a atenção como foram nos álbuns dos anos 80 e 90, porém apesar de boa qualidade não chegou perto dos seus primeiros e fenomenais trabalhos, mas de qualquer forma o álbum traz boas canções com suas características que só o Rei do Pop sabia fazer.















61 | Speakerboxxx/The Love Below
OutKast
2003

Foi um dos álbuns mais elogiados e  bem avaliados em 2003, lembrando que neste ano foi inesquecível, talvez o melhor ano da música Pop Mundial onde grandes artistas surgiram. O OutKast fez uma ousadia de lançar um disco duplo e cada um tinha um nome, mas o que assusta é a quantidade de faixas que ficou no total de 40. Destaque para a faixa "Hey Ya!" que foi um dos grandes hits do século.



Mariana Goldfarb é capa da Revista TOP Magazine da edição de agosto



A modelo e apresentadora Mariana Goldfarb é capa da Revista TOP Magazine da edição de agosto. Nesta edição a modelo ensina que nem toda dieta é low carb e que os rótulos ficam todos para trás. 




terça-feira, 15 de agosto de 2017

Grandes Discos Brasileiros | 'Claridade' - Clara Nunes (1975)



A série Grandes Discos Brasileiros vai relembrar novamente a cantora Clara Nunes que se estivesse vive faria 75 anos no dia 12 de agosto. Hoje nos perguntamos como ela estaria hoje e como estaria suas obras, porém o que ela deixou foi um legado na música, na cultura brasileira e grandes discos que traziam canções que variavam do samba, bolero e MPB.



Para quem acompanha a série desde o começo falamos do disco Canto das Três Raças que é um grande disco. O disco homenageado desta vez é Claridade que foi lançado no ano de 1975 e marcou na música brasileira por ter sido o primeiro disco de uma artista feminino a ultrapassar a marca de um milhão de cópias vendidas.

Os primeiros discos de Clara Nunes teve pouco sucesso comercial e não chegaram a ultrapassar nem 15 mil cópias e hoje estes discos são uma raridade no mercado de sebos. A partir do quinto disco de estúdio que Clara começou a ganhar mais o mercado musical e a cada lançamento mais vendas ela conseguia evoluir.


Capa alternativa do disco Claridade

Clara Nunes antes de lançar o disco fez uma turnê pela Europa onde conheceu vários países e divulgou suas músicas e a cultura brasileira. No mesmo ano Clara fez shows pelo Brasil divulgando musicais e casou-se com o produtor musical Paulo César Pinheiro.




O grande sucesso deste disco é a canção "O Mar Serenou" que até hoje é lembrada por grandes amantes da música de Clara Nunes. A canção é um samba que tem em destaque a potência da voz de Clara que canta de forma mais alta e técnica. É uma das minhas canções favoritas da cantora que tem uma linda letra.




Uma canção que se destaca e foi um grande hit na época é "Juízo Final" que foi escrita por Nelson Cavaquinho que inclusive cantou em um de seus discos, mas na voz de Clara Nunes a canção ganhou uma roupagem ainda melhor onde ela mostra emoção e uma forte técnica ao interpretá-la.

O disco também retrata a relação de Clara Nunes com a religião afro-brasileiras na faixa "A Deusa dos Orixás". Clara gostava de interpretar sambas com humor e conseguia mostrar muito bem isso como na faixa "Bafo na Boca" que é um daqueles sambas bem astral. Também temos neste disco canções que faz lembrar o início de sua carreira como na faixa "Valsa de Realejo".


Faixas

Faixa Título Compositor(es)



1
O Mar Serenou
Candeia
2
Sofrimento De Quem Ama
Alberto Lonato
3
A Deusa Dos Orixás
Toninho, Romildo
4
Juízo Final
Élcio Soares, Nelson Cavaquinho
5
Tudo É Ilusão
Tufy Lauar, Eden Silva, Anibal da Silva
6
Valsa De Realejo
Guinga, Paulo César Pinheiro
7
Bafo De Boca
Paulo César Pinheiro, João Nogueira
8
O Último Bloco
Candeia
9
Ninguém Tem Que Achar Ruim
Ismael Silva
10
Ás Vezes Faz Bem Chorar
Ivor Lancellotti
11
Vai Amor
W.Rosa, Monarco
12
Que Seja Bem Feliz
Cartola


Ouça o Disco




segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Mariana Rios é capa da Revista Corpo a Corpo de Agosto


Mariana Rios com certeza é uma das artistas mais carismáticas no mundo das celebridades, mostrando sempre seu sorriso e simpatia. Recentemente estamos acompanhando ela brilhando e soltando sua voz no programa PopStar, na Rede Globo. A bela mineira de 32 anos também se dedica muito a sua forma física e para mostrar isso ela é capa da edição de agosto da Corpo a Corpo.




sábado, 12 de agosto de 2017

Grandes Discos Brasileiros | 'Clara Crocodilo' - Arrigo Barnabé (1980)




Na série Grandes Discos Brasileiros vamos falar de um artista que creio que poucos conhecem e que conheceu nos anos 80 deve ter estranhado seus trabalhos que era muito diferente de tudo que ouvíamos e muitos acabaram gostando da novidade. Vamos falar de Arrigo Barnabé, músico nascido em Londrina, é pianista, compositor, arranjador e produtor. Arrigo criou uma nova maneira de fazer música que se tornou na época uma novidade tão criativa como foi o Tropicalismo. 

O estilo Experimental mistura elementos e procedimentos da música erudita do século XX a letras ferinas sobre a vida na grande cidade. É comum a utilização de séries dodecafônicas, aliada a uma prosódia muito próxima da fala urbana de seu tempo.




Arrigo Barnabé em sua carreira lançou vários discos, mas tem dois que ganharam de vez o público que foram os dois primeiros que inclusive teve ótimas avaliações da crítica e acredito que conforme a novidade não se tornava mais novidade o público ficava cada vez mais enxuto. O disco que iremos retratar aqui é Clara Crocodilo lançado em 1980 e é o melhor disco deste estilo que o chamavam de Vanguarda Paulista

O disco foi produzido por Robinson Borba e Arrigo Barnabé contou com a presença da banda Sabor de Veneno em todas as faixas. Quem participa em boa parte do disco é a cantora Tetê Espíndola que fez parte deste movimento, assim como Itamar Assumpção que fez parte de algumas faixas, mas logo se lançou como um grande artista da Vanguarda Paulista.


Parte do encarte do disco

Musicalmente, Clara Crocodilo caracteriza-se pelo uso de serialismos, especialmente o dodecafonismo, além do atonalismo livre, o que fez com que Arrigo Barnabé fosse apontado como o primeiro compositor popular a utilizar sistematicamente técnicas seriais em suas composições. As letras do disco discorrem sobre a vida neurótica e degradante nas metrópoles contemporâneas brasileiras, com enfoque na contracultura marginal paulistana, emergindo em um texto poético assumidamente influenciado pelas histórias em quadrinhos.


Arrigo Barnabé nos anos 80

Saudado pela crítica especializada como o porta-voz da "terceira revolução" da MPB (depois da bossa nova e do tropicalismo), Barnabé encarnou o papel e declarou em 1981 "que depois do Tropicalismo o que tinha de acontecer é o atonalismo na música popular, que tinha de pintar uma coisa atonal. Isso porque os caras tinham chegado num ponto, mas não tinham rompido com a linguagem atonal, não tinha uma coisa organizada". Quase vinte anos mais tarde, não tendo sua previsão histórica sido cumprida, ele revelaria que "até forçava a barra, citando caras da velha-guarda como Orestes Barbosa nos shows, mas na verdade não tinha nada a ver com MPB".


Tetê Espíndola nos anos 80

A cantora Tetê Espíndola teve uma presença muito importante no disco e logo notamos sua voz única e inconfundível nas faixas com uma interpretação bem diferente das grandes cantoras, sendo considerado genial pela crítica.

A Revista Rolling Stone Brasil escolheu o disco como um dos 100 melhores da música brasileira com a seguinte justificativa:

"Surgido no clima efervescente da música paulista nos anos 80, Clara Crocodilo é uma usina sonora que mistura música erudita contemporânea de vanguarda, dodecafonismo, pop e rock pesado. Ao mesmo tempo, é uma "ópera pop" cujo pano de fundo é a vida degradada nas cidades. Acompanhado da banda Sabor de Veneno e gravado de forma independente, o disco foi aclamado como o mais inventivo criado fora dos moldes do que se entende por música popular tradicional e solidificou a carreira do então pouco conhecido Arrigo Barnabé."


O disco possui oito faixas, mas boa algumas delas tem uma duração bem maior que canções normais, chegando a passar de sete minutos. Pesquisando em alguns sites a canção que mais se destacou de uma forma ou outra foi a faixa título "Clara Crocodilo" que despontou em alguns festivais e tem toda a característica da Vanguarda Paulista.


Faixas


Faixa Título Compositor(es)



1 Acapulco Drive-In
Arrigo Barnabé/Gilson Gibson/Otávio Fialho/Paulo Barnabé
2
Orgasmo Total
Arrigo Barnabé
3
Diversões Eletrônicas
Arrigo Barnabé/Regina Porto
4
Instante
Arrigo Barnabé
5
Sabor de Veneno
Arrigo Barnabé
6
Infortúnio
Arrigo Barnabé
7
Office-Boy
Arrigo Barnabé
8
Clara Crocodilo
Arrigo Barnabé/Mário Lúcio Cortes 


* Tetê Espíndola participa das faixas 1, 3, 5, 6 e 7
* Itamar Assumpção faz arranjos nas faixas 3 e 6



Ouça o Disco




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...